terça-feira, fevereiro 23, 2010

Aí está a nova aventura de Jonas o Reguila!

PARA AMPLIAR, CLICAR NA BD
O jornal Trevim (Lousã) publica, no dia 25 de Fevereiro de 2010, o n.º 30 do Mundo Reguila, o suplemento infantil que, desde o primeiro dia, tem divertido os mais novos (e não só) com passatempos, contos e uma banda desenhada. Jonas o Reguila é o protagonista deste espaço e, neste número, o rapaz sardento inicia uma aventura de longo curso, ao contrário do que era habitual, já que as histórias se resumiam a uma página. A partir de hoje, “O Caso da Custódia Roubada” promete divertir miúdos e graúdos, com o nosso pequeno herói a viver mil e uma peripécias que o vão levar a descobrir um valioso objecto desaparecido há 200 anos, com as Invasões Francesas. O primeiro episódio começa hoje.

12 comentários:

pampam disse...

E vamos ter direito a uma prancha nova todas as semanas?
Espero que sim.

Bom trabalho.

pampam disse...

Já agora espero que a história tenha 62 pranchas.
;-)

Carlos Sêco disse...

Tenho de ser realista. Só poderei avançar com uma prancha quinzenal ou mensal. Em relação ao número de páginas, dependendo do entusiasmo da história, quem sabe se o Jonas não vive 62 páginas de aventura.

pampam disse...

50 meses são 4 anos....

...começaste uma maratona.

Bom fõlego!

Geraldes Lino disse...

Boa novidade, Carlos Sêco (ou CarloSêco).
Publicar uma banda desenhada no sistema de "continua no próximo número era uma coisa que eu já não via desde o saudoso quinzenário Sete, com bandas desenhadas do Fernando Relvas e também do Vasco Colombo.
Para já, numa primeira fase, temos essa realidade, a de uma bd de longa (ou média) metragem a cores, cuja publicação conviria que fosse semanal, mas, como isso não lhe é possível, que seja quinzenal, para que o leitor não se esqueça.
Quanto à hipótese de álbum, implícita na sugestão das 62 pranchas do Pedro Morais, eu seria menos ambicioso, e contentar-me-ia com um álbum de 30 páginas.
Abraço.
GL

Parabéns pela iniciativa,

pampam disse...

caro GL,
as 62 páginas eram só para chatear os Moulinsart que poderiam dizer "plágio!" e ao colocarem os advogados atrás do CS ajudarem a publicitar esta iniciativa.

Muito rebuscado, não é?
;-)

Carlos Sêco disse...

Boa, Pedro! Não tinha atingido. Deixa-me consultar a jurista que tenho lá em casa, para ver quais as minhas hipóteses. É que uma promoção deste calibre (mesmo sendo da Moulinsart)dava jeito.
Falando a sério: isto das 62 páginas, além do Hergé, mais alguém fez ou ainda faz álbuns com este número? Tenho ideia de que não é lá muito usual.

pampam disse...

Na bd franco-belga os álbuns têm normalmente 48 páginas. E as histórias 44 ou 46 pranchas.
Como os cadernos têm 16 páginas é normal os álbuns terem multiplos de 16, ou seja 32, 48, 64... etc.
Uma página para o rosto e outra para a ficha técnica mais as 46 pranchas e temos as 48 páginas.
As histórias do Hergé tinham na versão a preto e branco por volta de 120 pranchas.
As versões a cores são adaptações em que cada 2 pranchas eram fundidas numa única.
Não é difícil de perceber que 2+62=64.
Para não desperdiçar folhas.

pampam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pampam disse...

Há quem faça histórias mais longas.
(nem é preciso ir até ao japão onde por vezes cada história tem 2mil pranchas)

Recentemente (Nov.2009) o Moebius editou uma nova história do Arzak com 62 pranchas.
A primeira de 3 partes. Ou seja no total a história terá 186 pranchas.
Novembro passado foi editada a versão "collector" a preto e branco com cinzentos e em Outubro sairá a versão a cores.

Geraldes Lino disse...

Dizes bem, Pedro "Pampam" Morais, não é preciso ir ao Japão para ver, ter, poder adquirir álbuns com bastantes mais páginas que as estandardizadas 46.
Nem sequer é necessário encomendar ao Moebius esse álbum de 62 páginas com mais um episódio do Arzak (que já deves ter comprado).
Recebi hoje, da muito portuguesa "Tinta da China Edições", o livro de BD "As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy", com 120 paginas a cores (claro que já incluindo página de rosto, página da ficha técnica, e algumas outras com o "making of" da obra (a bd propriamente dita tem 97 pranchas!)tudo em papel "couché" de muito boa gramagem.
De vez em quando acontecem coisas destas, imprevisíveis, e ainda bem.
O lançamento foi no Fantasporto, mas haverá mais um lançamento informal, no dia 9, na Tertúlia BD de Lisboa, com a presença dos autores (3 argentinos e um português, que serão convidados especiais da TBDL), venda do álbum pelo próprio co-proprietário da Dr. Kartoon, João Miguel Lameiras, que vem propositadamente de Coimbra, e sessão de autógrafos. Tudo coisas quase impensáveis, o que prova que ainda nem tudo está perdido neste país, pelo menos é a opinião daqueles que vêem a garrafa meio cheia.
Abraço.
GL

Joaquim disse...

Onde procurar as "soluções" do TOCA A DIVERTIR, do último Mundo Reguila?